sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

PLEASE MISTER POSTMAN


©Cesar Cardoso, 2011.
cesarcar@uninet.com.br

+ + + + + + + + +
Aqui jaz
PATAVINA’S
revista literária on line e quase mensal

Não perca: em 15 de março,
a segunda edição de
“A Indesejada das Gentes”
+ + + + + + + + +

13 comentários:

  1. Muito boa coletânea, Cesar Cardoso. É bom a gente poder fazer literatura sobre a morte. Com certeza, um dia ela vai chegar... "mas que não seja logo".
    um abraço da sua amiga do GEL, Maria Alice.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Maria Alice,

    Basta que ela demore um dia e sempre chegue só no dia seguinte, nunca hoje.

    Beijo

    Cesar

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por partilhar tão bons poemas, relembrá-los, apresentá-los. Foi bom! Beijo

    ResponderExcluir
  4. Boa ideia, a cotidianidade da morte é uma coisa que devia soar menos terrível do que a tornaram certas religiões e programas de televisão.
    Tenho um blog, mais chato e cabeção, mas se quiser dar uma espiada...: arquivoscriticos.blogspot.com
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Cesar, recebi seu convite para conhecer o blog e gostei muito do que li.
    Parabéns pelo espaço! Já o estou seguindo...

    Márcia

    ResponderExcluir
  6. Otima idéia. Belos poemas.
    Obde andara Paco Cac?
    Abraços,
    Eliana

    ResponderExcluir
  7. Oi, Eliane,

    Bom que você gostou. Volte sempre ao Patavina's.

    Beijo

    Cesar

    ResponderExcluir
  8. Valeu, Ravel.

    Também vou lá visitar teu blog.

    Abraço

    Cesar

    ResponderExcluir
  9. Oi, Márcia,

    Obrigado e volte sempre ao PATAVINA'S.

    Abracadabraço do

    Cesar
    -----

    ResponderExcluir
  10. Oi, Eliana,

    O Paco está morando em Brasília há alguns anos. Dá aula e continua agitando a poesia e a literatura.

    Abraço

    Cesar

    ResponderExcluir
  11. Marcos Andre Maia Bonel_mambonel@uol.com.br23 de fevereiro de 2011 20:02

    Nobre Mestre ,

    Gostaria de lhe apresentar meu filho. A partir de todo conhecimento da lingua portuguesa , que durante sessões "diarias" DE TORTURA, não consegui aprender porra nenhuma ,mas, em compensação foram transmitidas ao meu primogenito, que com maestria
    desafia toda a gramatica e produz textos soberbamente abundantes de uma visão psicodramatica como nunca vistos antes . Posto isto lhe mando meu email para que vc me encaminhe o seu e finalmente em ato de bravura possa ele encaminhar seus textos para seu deleite Abs Marcos Andre Maia Bonel mambonel@uol.com.br

    ResponderExcluir
  12. Num comentário que fiz sob o título de "O túmulo do poeta desconhecido" publiquei por inteiro meus lamentos rimantes que o blog havia divulgado pela metade. Continuo olvidado. F.Flamante

    ResponderExcluir