sexta-feira, 15 de julho de 2011

CAIU NA REDE É PIXEL

MEUS OITO ANOS

o tempo entranhado no susto das unhas
jantamos com o bicho papão

na biblioteca da dor
o sino ressoa sem bater

pelas frestas das camas
embaixo do assoalho

atrás do olho esquerdo
caspa na lágrima que escapa

entre dedos e lembranças entre-tantos
renasce a cica triz na pele insone

grito frio de montanha russa
pesadelo e acordeon

cesar cardoso

6 comentários:

  1. Valeu, Cacá,

    Venha sempre patavinar por aqui.

    Abracadabraço do Cesar

    ResponderExcluir
  2. Muito bom César,gostei da lembrança ter tons mais suaves até a ressurgência em tons fortes.O melhor de voltar à infância é lembrar da nossa inocência perdida,não achas?Eu recém reli O Mágico de Oz e senti isso.As cicatrizes também voltam à mente, mas acho que a infância em si tem um efeito mágico inebriante.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Jenny, a infância fica com essa mistura de sorriso e cicatriz. O que vamos sempre buscar lá atrás e o que dela permanece aqui, muitas vezes sem que percebamos?

    Obrigado pela visita e volte sempre ao PATAVINA'S.

    Abracadabraço do

    Cesar

    ResponderExcluir
  4. Você é o Cesar que cursou ELO na Federal com o Matsuda e comigo (Cleber)? Se for entre em contato pelo e-mail cleberf@gmail.com.
    Abs

    ResponderExcluir
  5. Oi Cesar, passei para retribuir a visita. Gostei muito do seu blog! Um grande abraço,
    Socorro Acioli

    ResponderExcluir